quarta-feira, 21 de agosto de 2013

Fisiologia do câncer

O câncer é causado em todos, ou em quase todos os casos, por mutação ou por alguma outra ativação anormal de genes que controlam o crescimento e a mitose celulares. Os genes anormais são chamados de oncogenes. Até 100 diferentes oncogenes já foram descobertos. Também presentes em todas as células estão os antioncogenes, que suprimem a ativação de oncogenes específicos.Portanto, a perda ou a inativação de antioncogenes pode permitir a ativação de oncogenes que levam ao câncer.

Apenas uma reduzida fração das células que sofrem mutação no corpo leva ao câncer. Há várias razões para isto. Em primeiro lugar, a maioria das células alteradas possui uma capacidade menor de sobrevivência do que as células normais, e simplesmente morrem. Em segundo lugar, apenas poucas dessas células alteradas, que conseguem sobreviver, se tornam cancerosas, pois mesmo a maioria das células mutantes ainda possui controles de feedback normais que previnem o crescimento excessivo.

Em terceiro lugar, as células potencialmente cancerosas são freqüentemente destruídas pelo sistema imune do organismo antes que formem um tumor. Isto ocorre da seguinte maneira: a maioria das células mutantes forma proteínas anormais em conseqüência de seus genes alterados, e estas proteínas ativam o sistema imune do corpo, e este forma anticorpos ou linfócitos sensibilizados que reagem contra as células cancerosas, destruindo-as. A reação imune é evidenciada pelo fato de que as pessoas cujos sistemas imunes foram suprimidos por medicamentos imunossupressores após transplante de rins ou de coração têm a probabilidade de desenvolvimento de um câncer multiplicada por cinco.

Em quarto lugar, geralmente diversos oncogenes devem ser ativados simultaneamente para causar um câncer. Por exemplo, um desses genes poderia promover a rápida reprodução de uma linhagem de células, mas o câncer ocorre porque não há um gene mutante para formar os vasos sanguíneos necessários.

Mas o que causa a alteração dos genes? Considerando que vários trilhões de novas células são formadas a cada ano nos humanos, uma pergunta melhor seria “Por que nem todos nós desenvolvemos milhões ou bilhões de células mutantes cancerosas?” A resposta é a incrível p recisão com que as moléculas de DNA cromossômico são replicadas em cada célula, antes que a mitose ocorra, e também o processo de leitura de prova que corta e repara filamentos de DNA anormais, antes que o processo mitótico prossiga. Contudo, a despeito de todos estes sistemas de segurança estabelecidos na evolução, provavelmente uma célula recém-formada em alguns milhões ainda tem características mutantes significativas. Assim, como as mutações ocorrem ao acaso, pode-se supor que um grande número de cânceres é o resultado da má-sorte.

Entretanto, a probabilidade de mutações pode ser aumentada muitas vezes quando o organismo é exposto a fatores químicos, físicos ou biológicos, incluindo os seguintes: radiação ionizante, como raios X, raios gama e radiação emitida por substâncias radioativas, e mesmo a luz ultravioleta, substâncias químicas (derivados do corante anilina, fumaças de cigarro...), irritantes físicos (abrasão do TGI), tendência hereditária ao câncer e Em animais de laboratório, certos tipos de vírus podem causar alguns tipos de câncer.

Características Invasivas da Célula Cancerosa. As principais diferenças entre a célula cancerosa e a célula normal são as seguintes: (1) A célula cancerosa não respeita os limites normais de crescimento celular; a razão é que estas células presumivelmente não requerem todos os fatores de crescimento que são necessários para o crescimento de células normais. (2) As células cancerosas geralmente aderem umas às outras muito menos do que as células normais. Portanto, elas têm a tendência de vagar pelos tecidos e entrar na corrente sangüínea, pela qual são transportadas para todo o corpo, onde formam focos de crescimento canceroso. (3) Alguns cânceres também produzem fatores angiogênicos que fazem com que novos vasos sangüíneos cresçam no tumor, suprindo os nutrientes necessários para o crescimento do câncer.

Por que as Células Cancerosas Matam? A resposta desta pergunta normalmente é simples. O tecido canceroso compete com os tecidos normais pelos nutrientes. Pelo fato de as células cancerosas proliferarem continuamente, o número delas se multiplica dia após dia; as células cancerosas logo demandam praticamente todos os nutrientes disponíveis para o organismo ou para uma parte essencial do corpo. Conseqüentemente, os tecidos normais gradativamente sofrem morte por desnutrição.

Fonte: Guyton e Hall - Tratado de fisiologia médica - 11ª edição - Ed. Elsevier.

Clique na foto Rio Enfermagem no Facebook ao final do "post" e faça parte do grupo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário